Somente Rock’n roll

100675_Skull-Rock-n-RollO Brasil está vivendo uma febre de rock’n roll. Por algumas semanas está passando por aqui uma das mais badaladas bandas deste gênero de música, os Rolling Stones. A mídia tem dado enorme cobertura para os shows e, assim, acendido o frenesi pela banda. Milhares de pessoas foram aos shows no Rio e em SP. Mas, ao fim das contas, It’s Only Rock ‘n Roll (é somente rock’n roll), certo?

It’s only Rock’n roll é o nome de um dos álbuns desta banda. Seria o rock apenas um gênero inofensivo de música, que serve para a diversão momentânea, ajudando seus ouvintes a suavizar as lutas do dia-a-dia? Infelizmente o rock está longe desta simplicidade e inocuidade.

Primeiro falemos do rock em si, em sua forma de se apresentar como gênero musical. Não é necessário que alguém seja um profundo conhecedor do assunto para perceber certas características do rock. Embora há distintas formas de rock,  em sua maioria as “batidas” das músicas, somadas com o alto volume com que são tocadas (ênfase nos instrumentos) e a falta de harmonia impulsionam a um estado de agressividade nos seus ouvintes. Soma-se a isso letras de pesado conteúdo de revolta e pessimismo (destruição, suicídio, desprezo pela autoridade, etc).

Além disto, o rock cria um estilo cultural. Significa dizer que as pessoas que a ele aderem passam, conscientemente ou não, a viver os seus “valores”. Isso fica claro no vestir-se (preto geralmente), nas tatuagens, piercings, etc. Este estilo cultural, quer percebido ou não, afasta o cristão da vivência da sua fé, mesmo porque o rock tende a exaltar o demônio e desprezar a Deus. A própria banda que estamos usando como exemplo neste texto prova isso: em Synpathy for the Devil (Simpatia pela demônio) lá está o demônio, apresentado pomposo e exultante. O nosso roqueiro tupiniquim, Raul Seixas, junto com o bruxo Paulo Coelho, fez a mesma apresentação dele. E a lista iria longe…

Claro que está música, com seu estilo cultural e sua simpatia pelo dêmonio deixa consequências. E não são boas: não é um estereótipo que muitos dos seus adeptos serão viciados em drogas, uma vez que seus ídolos não fazem questão de esconder isso. Aliás, muitos deles morreram em momentos de overdose (como Jimi Rendrix, engasgado no próprio vômito). Outros tantos se mataram, seguindo suas próprias letra de apologia ao suicídio e desvalorização da vida. Nem é necessário falar do desprezo pela castidade e pela modéstia. Em resposta à “batida” da música de que falávamos, muitos shows de rock têm seus momentos de luta e espancamento.

Como visto, não é somente rock’n roll! É uma cultura pagã que se cria e fortalece a partir de um gênero musical. O rock usa da hipersibilização das pessoas para alterar comportamentos e, assim, valores, sendo os jovens as maiores vítimas. Em contrapartida, a música cristã dá grande valor a uma melodia que leve o ser humano à interioridade, que por sua vez ajuda na sua intimidade com Deus. Como somos seres racionais, as letras são feitas para serem compreendidas e assimiladas pela inteligência, para gerarem comportamentos sadios. Enfim, a autêntica boa música e, de modo especial a música cristã, usa deste meio tão precioso de arte (a música) para reforçar o belo o bom e o verdadeiro.

2 ideias sobre “Somente Rock’n roll

  1. Gislane

    Verdade revelada ao Pe Silvio pelo Espírito Santo, com certeza! Fui por muito tempo adepta do Rock é exatamente isso, uma frieza toma conta de nossa alma onde tanto faz morrer ou matar tudo depende das circunstâncias e pior isso nos persegue ao longo da vida mesmo depois de anos de caminhada com Deus há dias em que temos que lutar contra isso, pois fica empregnado em nós como uma cicatriz. De vez em quando pensamentos ruins surgem! Que Deus nos ajude a vencer essas sequelas da alma, triste dor!

    Responder
  2. Luciano

    Concordo com nosso amigo Padre Silvio, não deixa de ser uma cultura de morte, lívidas atrás, jovens americanos que fizeram pactos de suicídio conjunto após ficarem em transe ouvindo rock satânico, como nós temos lindas musicas que nos fazem ficar em sintonia com Deus, o inimigo de Deus de uma outra maneira quer ser adorado se escondendo atrás de musicas com letras pesadas e disfarçadas, dificilmente vc irá encontrar algum roqueiro que vá a Santa Missa e frequente os Sacramentos, mas sim jovens que usam drogas com tatuagens pagãs e idas constantes ao cemitérios.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>