Quem é São Miguel Arcanjo?

MINOLTA DIGITAL CAMERA

            A Igreja faz memória de São Miguel, juntamente com S. Gabriel e S. Rafael, no dia 29 de setembro. Mas quem é ele?

Anjos

Como nos ensina a Palavra de Deus, os anjos estão hierarquicamente divididos em 9 coros: Anjos, Arcanjos, Virtudes, Poderes, Principados, Dominações, Tronos, Querubins, Serafins (Cl 12,16 e Ef. 1,21). Além destes coros, há 7 anjos especiais, que não sabemos ao certo se são Serafins ou Arcanjos. Também a Palavra nos fala deles:

“E quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, fez-se silêncio no céu por meia hora …  E vi os sete anjos que servem diante de Deus. A eles foram entregues sete trombetas.” (Apoc 8,1-2)

Na Bíblia temos a menção nominal a 3 Arcanjos: São Rafael (Tobias 12,15), Gabriel (Lucas 1, 19.26) e Miguel (Apoc. 12, 7ss; Daniel 10,13ss; 12:1; Judas 9). Aliás, são os únicos anjos que conhecemos os nomes, revelados pela Palavra de Deus. Tudo o mais não é bíblico.

Hierarquia de S. Miguel

Há duas tradições de ensinamento sobre S. Miguel. Segunda uma delas, ele seria desde o início um Anjo do mais alto grau que enfrentou Satanás e o venceu. Outra tradição, defendida por S. Tomás de Aquino, diz que ele seria um anjo de hierarquia baixa, portanto inferior a  Satanás, mas também o venceu e, por isso, foi elevado ao mais alto grau entre os anjos. Se esta última hipótese foi o que aconteceu, então cumpriu-se nele a palavra que diz: “Derrubou do trono os poderosos e exaltou os humildes.” (Lc 1,52)

Batalha dos Anjos:

Segundo Santo Agostinho, quando a Bíblia diz que Deus criou, no princípio, a luz e a separou das trevas (Gênesis 1, 3-5) isso faz referência à separação entre os anjos, sendo que os anjos maus tornaram-se demônios e perderam o seu lugar no céu. Já os bons, liderados por S. Miguel, garantiram para sempre sua vida bem-aventurada.

O último livro da Bíblia fala-nos ainda mais desta batalha, liderada por S. Miguel:

“Houve uma batalha no céu: Miguel e seus anjos guerrearam contra o dragão. O dragão e seus anjos combateram, mas não conseguiram vencer, nem se encontrou mais o seu lugar no céu. O grande dragão, a antiga serpente, chamado Diabo e Satanás, o sedutor do mundo inteiro, foi derrubado, e seus anjos foram atirados com ele na terra. (Apoc 12, 7-9)

A liderança de São Miguel foi mostrar aos anjos que Deus é maior e que niguém é como Ele. Daí o nome deste anjo: Mi Ka El, que significa Quem Como Deus?

Missão

A tradição da Igreja, baseada na Palavra de Deus, nos fala de duas missões principais de S. Miguel: estar junto a nós no último momento de nossa vida e assim Levar as almas para Deus e a missa de defender o povo de Deus na luta contra Satanás. Daí ele ser invocado como protetor da Igreja.

“Naquele tempo surgirá Miguel, o grande príncipe, o protetor dos filhos do teu povo. Será um tempo de angústia qual não houve desde que os povos existem, até aquele momento. E naquele tempo o teu povo será salvo, todo aquele que estiver inscrito no Livro.” (Dn. 12,1)

Os Santos e S. Miguel

            Os santos tiveram uma profunda devoção a S. Miguel:

  1. Francisco recebeu suas chagas por meio de São Miguel, no monte Alverne. Por devoção a S. Miguel ele deu início às Quaresma de São Miguel (40 dias de oração a ele, antes de sua Festa).

O Papa Leão XIII, após uma visão na qual viu um período de especial ataque do demônio contra a Igreja, escreveu um pequeno exorcismo, pedindo a invocação deste Arcanjo:

“São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate. Sede o nosso refúgio contra as maldades e ciladas do demônio. Ordene-lhe Deus, instantemente o pedimos, e vós, príncipe da milícia celeste, pela virtude divina, precipitai no inferno a satanás e aos outros espíritos malignos, que andam pelo mundo para perder as almas.”

Santa Faustina disse: “Tenho uma grande devoção por S. Miguel Arcanjo. Ele não tinha um exemplo no cumprimento da vontade de Deus e, no entanto, cumpriu fielmente os desejos de Deus. (Diário, 667)

São Miguel fez aparições a S. Joana D’arc, indicando-lhe a forma de combater pela França, o que significou também o combate pela fé católica. E, segundo alguns pesquisadores da Mensagem de Fátima, teria sido ele o Anjo que apareceu às crianças, preparando-as para receber N. Senhora.

Por fim, há na Itália um gruta que foi consagrada pelo próprio São Miguel (Monte Gargano), no século VI. Segundo a tradição São Miguel Arcanjo apareceu ao bispo local e disse-lhe: “Eu sou o arcanjo Miguel e estou sempre na presença de Deus. A caverna é sagrada para mim, eu a escolhi e serei seu anjo protetor. Ali na entrada da rocha podem ser perdoados os pecados das pessoas. O que se pedir em oração será escutado. Vá então até a montanha e dedica-a ao culto cristão.” Como essa montanha tinha sido local de antigos cultos pagãos, o bispo vacilou e não cumpriu o pedido do arcanjo. Com isso, em uma terceira aparição o próprio São Miguel disse que já havia feito ele mesmo a consagração. Ainda assim, depois disso, o bispo se dirigiu até lá com outros bispos em procissão. Devido a esta peculiar consagração, a gruta recebeu o título de “Basílica Celestial”. Séculos depois, em 1656, durante uma terrível peste que assolava a região, o bispo Alfonso Puccinelli recorreu à ajuda de São Miguel, com jejuns e orações; também este teve uma aparição do Arcanjo, que lhe prometeu o fim da peste, o que de fato aconteceu de forma milagrosa. A esta Basílica têm acorrido, ao longo dos séculos, milhares de peregrinos, entre eles homens de grande santidade como São Francisco (que não achou-se digno de entrar, rezando na entrada), Santa Brígida, Santo Afonso, São Padre Pio, o Papa João Paulo II e outros. Na capela do Santíssimo, ali presente, encontra-se uma parte da Santa Cruz de Cristo.

Por tudo isso, diante da grande batalha que atualmente travamos contra o mal, não deixemos de pedir a proteção deste Arcanjo, vencedor dos demônios.

São Miguel Arcanjo, rogai por nós!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>