Testemunhas de Jeová: doutrina perigosa

P1011375.JPG     Muitos já tiveram a experiência: domingo pela manhã e as testemunhas de jeová batem à sua porta. Você poderá até dizer que não quer conversar naquele momento, mas eles insistirão, inclusive para vender-lhe sua revista.

Mas há algo muito pior do que a inconveniente insistência das testemunhas. O conteúdo que eles querem lhe passar, ainda que camuflado sob belas imagens de um paraíso na terra, é um veneno mortal. Isto é pior do que a chatice, é colocar sua alma em risco. Vejamos por que.

Quem são

As testemunhas de jeová são uma seita (mais à frente você vai entender por que são uma seita) fundada nos Estados Unidos no fim do século 19 pelo protestante Charles Taze-Russel. Russel estava interessado na volta de Cristo, que ele “profetizou” que aconteceria em 1914 e depois para 1918. Seu sucessor, Joseph Rutherford, continuou as profecias, já que as anteriores estavam furadas e previu a volta de Jesus para 1925. Novo furo. Depois disso ainda houve anúncios do fim do mundo para 1976 e 1984.

O próprio nome “Jeová”, por eles usado em referência a Deus também é um erro. Este nome não existe na bíblia, mas é a mistura de 3 nomes dado a Deus no Antigo Testamente: Javé, Eloim e Adonai.

Mas falsas profecias e até mesmo um nome errado para Deus não são os casos mais graves das Testemunhas. O maior perigo está na doutrina deixada por Russel, com grandes absurdos:

1) Negação da Trindade

Russel chegou a proferir uma blasfêmia, dizendo que a Trindade era uma ideia do demônio

2) Negação da divindade de Jesus

Segundo Russel, Jesus foi criado por Deus e, embora seja um ser muito especial, acima de todos os demais, ele não é Deus. É dito também que Jesus é a encarnação do anjo Miguel

3) Negação da imortalidade da alma.

Para eles, no dia da morte, até a alma morre. Daí Deus cria uma alma totalmente nova para o crente que for morar no paraíso

4) Negação da existência do inferno

5) Praticamente negam o céu

O céu já está fechado, pois já se completou o número dos escolhidos para lá. Todos os demais agora ficarão em um paraíso na terra (daí os lindos desenhos nas suas revistas)

6) Alteração do texto Bíblico

Para darem algum respaldo à sua doutrina, os Testemunhas modificaram, em suas bíblias, certas passagens. Substituíram a palavra “Senhor” por Jeová (com exceção nos locais onde “Senhor” se refere a Cristo). Na passagem da instituição da Eucaristia trocaram “isto é meu corpo” por “isto significa meu corpo”.

Erros antigos sendo propagados hoje

Praticamente todos estes graves erros doutrinais das testemunhas já estavam presentes nos primeiros séculos do cristianismo, tendo já sido refutados pela Igreja.

Diversas heresias negavam a Trindade e a divindade de Jesus. O arianismo foi a mais conhecida, sendo condenada pela Igreja no Concílio de Nicéia, em 325. Neste mesmo Concílio foi determinado que pregar um paraíso terrestre é uma heresia

A imortalidade da alma é uma verdade bíblica, pois Cristo, após sua morte, foi «pregar a Boa Nova aos espíritos em prisão» (1 Pedro 3,19)

Sobre a existência do inferno, que é eterno, nos ensina a Bíblia e o Catecismo da Igreja:

E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno. Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente.(Daniel 12,2-3)

“…Nosso Senhor adverte-nos de que seremos separados dele se deixarmos de ir ao encontro das necessidades graves dos pobres e dos pequenos que são seus irmãos morrer em pecado mortal sem ter-se arrependido dele e sem acolher o amor misericordioso de Deus significa ficar separado do Todo-Poderoso para sempre, por nossa própria opção livre. E é este estado de auto exclusão definitiva da comunhão com Deus e com os bem-aventurados que se designa com a palavra ‘inferno’.” (Catecismo, n. 1033)

Sobre o céu estar já cheio, com 144 mil pessoas, sendo que os demais deverão ficar na terra, basta ler um pouco melhor o texto do Apocalipse para ver como isso é um erro:

“Então, ouvi o número dos que foram marcados: cento e quarenta e quatro mil marcados de toda a tribo dos filhos de Israel (…) Depois disso, vi uma grande multidão de gente de todas as nações, tribos, povos e línguas. Ninguém conseguia contá-la. Todos estavam em pé diante do trono e diante do Cordeiro. Trajavam roupas brancas e levavam palmas na mão.” (Apoc 7, 4.9)

Conclusão

Posto tudo isso, dá para entender por que, no início do texto, eu disse que eles são uma seita, pois com todas essas deformidades doutrinárias, não são cristãos. Assim, é um perigo dar atenção às suas fábulas, pois o demônio pode afastar alguém do caminho da verdade, levando a graves erros. Pior do que perder o tempo no domingo pela manhã, é perder a verdade na alma…

Neste texto não estamos julgando as pessoas que são testemunhas de Jeová. Só Deus conhece o coração delas. Estamos mostrando o erro da doutrina que elas tentam nos passar. Examinar a verdade ou não de uma doutrina é um dever dos cristãos (1 Tes 5,21)

Como atitude cristã, podemos ainda tentar mostrar a elas todos estes erros, para que possam voltar à Igreja, uma vez que, infelizmente, provavelmente a maioria dos que hoje são testemunhos de Jeová um dia foram católicos, ainda que sem o conhecimento da fé que Deus nos deu para nossa salvação.

Pe. Silvio R. Roberto, MIC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>