Sobre o batismo

Baptism4Uma postagem recente que fiz, de uma pessoa buscando batismo onde os padrinhos não precisem estar casados, gerou muitos comentários nos quais se percebe muito desconhecimento quanto a este sacramento. Vamos deixar algumas coisas claras então:

– O batismo é um sacramento, ou seja, um dos 7 meios ordinários deixados por nosso Senhor para nossa salvação. Na verdade, é o primeiro de todos os sacramentos e necessário para a salvação (Cf Mt 28,18ss).

– Sendo um sacramento, ele não é nem um ato mágico e nem um mero evento social. Ele é uma graça para que a pessoa seja unida a Cristo, pertença ao povo de Deus (Igreja), seja santa e se salve.

– Podemos dizer que o batismo é um DIREITO, na medida que Deus quer isso para seus filhos. Mas nossa cultura tão acostumada com direitos tem que lembrar que também ele implica em um DEVER: dever de fidelidade ao compromisso batismal

– Jesus confiou à Sua Igreja a missão de batizar. A Igreja quer muito que todos sejam batizados. Mas ela tem também o direito, e dever, de apresentar normas para que o sacramento seja realizado com respeito, em vista da salvação;

– nossa cultura atual é marcada pelo relativismo, ou seja, uma negação da verdade e da autoridade. Sendo assim, alguns acham que tem o direito de fazer o batismo como bem entendem, sem respeitar a Igreja.

– nossa cultura também é muito marcada pelo comodismo, pela ideia de quanto menos trabalho, melhor. Assim, alguns querem batismo sem preparação. Como se, ao se preparar para algo tão grandioso, fosse uma perda de tempo.

Sobre as normas da Igreja (para que o batismo seja frutuoso, para a salvação das almas):

– É muito importante que os pais da criança sejam casados na Igreja (para o bem espiritual destes pais e para o bom testemunho à criança). MAS, se não forem ou mesmo se a criança só tem uma mãe (“mãe solteira”) ou um pai, NADA IMPEDE QUE ELA SEJA BATIZADA.

– Os padrinhos têm uma missão toda especial: dar testemunho de vida cristã à criança batizada até à sua maturidade de fé. Ora, por motivo óbvio para quem assume a missão de ser testemunha, os padrinhos devem viver sua fé católica… Sendo assim, devem ser crismados (maturidade da fé), já terem recebido a Eucaristia e, se forem um casal que vive junto, que sejam casados na Igreja (de outro modo, como dariam testemunho para o afilhado?)

– Mas não somente casais casados podem ser padrinhos. Um homem e uma mulher de diferentes famílias ou namorados, etc, também podem. E nem precisa ser um casal. Uma só pessoa pode ser padrinho ou madrinha. O importante é que, cada qual, dê testemunho de sua vida cristã.

– Obviamente pessoas de outra fé que não seja católica não pode ser padrinho (mas podem estar presentes como testemunhas). Como daria testemunho para o seu afilhado católico e como professaria a fé católica durante o rito?

Enfim, levemos muito a sério o compromisso de nosso batismo, para nossa salvação. E busquemos o mesmo para nossas crianças.

Em tempo: para saber mais, deve-se ler o Catecismo da Igreja

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>