Karl Marx, perfeito discípulo do Inimigo

karl_marx_hornedMarx, infelizmente tão idolatrado até por alguns católicos, foi um bom discípulo de Satanás.

Por quê?

Satanás é aquele que não aceitou se submeter a Deus, à Sua vontade. Mas tentou ser deus, inclusive quer ser adorado pelo homem. Em seu afã de idolatria, transformou-se em homicida e mentiroso, por excelência (cf Jo 8,44).

Marx tomou o mesmo caminho de orgulhoso, mentiroso e assassino. Vejamos o que ele diz, rejeitando o Criador:

“Um ser só se revela independente enquanto é senhor de si, e só é senhor de si enquanto deve a existência a si mesmo. Um homem que vive pela “graça” de outro, é considerado ser dependente. Mas eu viveria completamente pela graça de outro se ele tivesse criado a minha vida, se fosse a fonte da minha vida e esta não fosse a minha própria criação.”

Em um poema seu, do tempo de jovem, ele escreveu: “eu gostaria de me vingar daquele que governa acima” (estas duas citações estão no livro Marx & Satan, do ex-comunista Richard Wurbrand).

É bem conhecida de todos nós a frase de Marx, que “a religião é o ópio do povo”. Mas muitos que o bajulam não sabem o que ele disse também contra a família, a saber: que esta é um engano da sociedade burguesa, ou seja, que não tem sua origem em Deus (que nem existiria mesmo!), mas um meio de alienar as pessoas. Em certo momento Marx escreveu a seu amigo comunista Engels: “bem aventurado os que não têm família”. Mas Marx foi casado e teve 7 filhos (além de um outro com a empregada, que ele nunca assumiu), embora uma verdadeira tragédia tenha se abatido sobre eles: 4 do seus filhos morreram ainda pequenos e dois se suicidaram quando adultos.

Infelizmente, em nossos dias, os discípulos do inimigo continuam presentes, atuantes e enganando a muitos. Hillary Clinton, por exemplo, foi discípula de Saul Alinski que, por sua vez, escreveu um livro sobre radicais (Rules for Radicals) e que dedicou seu livro a Lúcifer, “o maior radical da história”, segundo ele.

Quem segue os citados acima, ainda que sem saber, seguem o “pai da mentira”. Não foi por acaso que, em Fátima, Nossa Senhora advertiu sobre os erros da Rússia, país que foi o primeiro a sentir na pele as ideias revolucionárias de Marx. Já nos primeiros anos da Revolução comunista (1917) naquela Nação, quase dois milhões de fieis foram presos e/ou mortos, assim como centenas de padres. No total, fala-se em 90 milhões de mortos pelo comunismo no mundo (China, Vietnan, Coréia, Cuba, etc). Já prevendo toda esta desgraça, diversos Papas alertaram os fies para o perigo do comunismo (ver as Encíclicas Divinis Redemptoris, de Pio XI, e Rerum Novarum, de Leão XIII).

Como se vê, Marx não somente atacou Deus, a religião e a família, mas também inspirou sanguinários. A ação demoníaca de Marx continua hoje, ainda que requentada por outros “pensadores”, com uma roupagem “de paz e amor”, ambientalismo e politicamente correto. Mas tudo farinha do mesmo saco. A ação demoníaca de Marx continua hoje, ainda que requentada por outros pensadores, com uma roupagem “de paz e amor”, ambientalismo e politicamente correto. Mas tudo farinha do mesmo saco.

E aí, dá pra ser marxista/comunista/socialista e ainda ser cristão?

Pe. Silvio, MIC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>