50 tons de engano

      Vou direto ao ponto, para depois explicar o porquê: o filme que chegou ao Brasil nestes dias, 50 tons de cinza, é pornografia disfarçada como romance. Mas não é “qualquer” pornografia (isto já tem bastante em outros filmes também disfarçados de romance!). É pornografia pesada, pois mesclada com sadomasoquismo, bebida e violência. Além disto, é pornografia personalizada, para um público específico.

A pornografia tem sido um mal cada vez maior em nossa sociedade, gerando cada vez mais destruição (viciados em pornografia, masturbação compulsiva, casamentos destruídos, pedofilia, homossexualismo, exibicionismo, travestismo e outras parafilias). Se antes esta era típica de homens, agora ela avança pelo universo feminino. Para a indústria pornográfica (que fatura bilhões por ano!) era relativamente fácil capturar o homem, pois, por natureza, este é atraído pelo olhar. Basta imagens para capturar o homem incauto!

Porém o mesmo não se dá com a mulher. Esta não é tão atraída pelo olhar ou pelo desejo imediato. A mulher é mais afetiva; tem que ser primeiramente seduzida. A indústria pornográfica há um bom tempo descobriu isso. E investe nisto! Toda a pornografia dirigida ao público feminino tem como isca o apelo do romance, da pobre vítima sofredora (com a qual a mulher carente se identifica), da história de amor que, ainda que cheia de percalços, vai terminar com um final feliz.  Mas o objetivo desta indústria criativa é claro: atrair a mulher, levá-la para a pornografia e, uma vez viciada (como os homens) ela continuará sendo a consumidora fiel, dando dinheiro a esta indústria.

O que a indústria pornográfica faz e o que ela ganha (bilhões!) nós já sabemos. E quanto a mulher? Infelizmente também sobre esta nós já sabemos o que acontece: uma vez seduzida, ela tende a ser uma pessoa profundamente ferida, pois a sedução virtual quase que inevitavelmente dará lugar à promiscuidade. Sua busca de afetividade, quando conduzida por este campo, terminará com profundas feridas. A sexualidade humana é um campo muito sério de nossa vida e cobra um preço alto por ser abusado. Quanto mais masoquismo, quanto mais relações contrárias à natureza, quanto mais violência, mais traumas: baixo estima, rancor, ódio, obsessões, escravidão afetiva.

“Fugi da impureza!” (I Cor 6,18). Espero que este alerta da Sagrada Escritura não passe despercebido a vocês mulheres.  Os homens já pagam um preço alto pela pornografia. Não queiram entrar no mesmo sofrimento. O preço que vocês vão pagar será ainda maior! Tenho atendido pessoas devastadas e sei do que estou falando. Não assistam a este filme; não se deixem vencer pelo convite de amigas; não tomem a máscara de mulheres “maduras” que já sabem o que querem da vida e, portanto, seria só um filme. Eva também tomou esta atitude “madura” ao dialogar com a serpente antes de cair… A indústria pornográfica, ávida de novas consumidoras, já armou o laço, mas o Senhor está nos dando sabedoria para não cairmos nele. Por fim, falem com vossas filhas e amigas e ajudem-nas a não serem outras vítimas.

Uma santa Quaresma a todos nós!

Pe. Silvio, MIC

P.S.: para saber mais sobre os efeitos da pornografia no cérebro, leia o material que está aqui: http://acordaterradesantacruz.com.br/?page_id=300

Leia mais sobre este filme:

http://www.aleteia.org/pt/sociedade/artigo/voce-vai-se-espantar-com-este-estudo-sobre-as-mulheres-que-leem-cinquenta-tons-de-cinza-5843513853870080

http://www.psiconlinews.com/2015/02/a-carta-de-uma-psiquiatra-sobre.html

 

 

2 ideias sobre “50 tons de engano

  1. Aline

    Obrigada pelos esclarecimentos muito pertinentes. O apelo sexual e mais imperativo do que a tematica do relacionamento homem mulher e uma pena que as pessoas, so vejam o que e mais superficial.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>