Imposição da ditadura gay

Você se lembra do PROJETO DE LEI 122? Resumindo-o, foi o Projeto chamado de “mordaça gay”, pois pretendia criminalizar todos os que ousassem manifestar sua opinião a respeito da ditadura gay que está se implantando no Brasil (para saber mais sobre este projeto, leia aqui: http://acordaterradesantacruz.com.br/?p=222). Pois bem, para a glória de Deus, que passa pela salvação das famílias, o PLC-122 foi definitivamente arquivado!

Porém, engana-se quem achar que a vitória já está ganha. Ganhamos uma batalha, mas ainda não a guerra! Em entrevista dada no início de 2015, o Deputado Jean Wyllys, um dos maiores ativistas de leis que destroem a família cristã, diz claramente que outro Projeto, ainda mais abrangente, está sendo preparado:

“Sim. Eu estou trabalhando num projeto de lei integral contra a discriminação e o preconceito que vai incorporar alguns acúmulos de todos esses anos de tramitação do PLC-122, mas não vai ser uma reprodução textual dele. Pretendo ir muito além, com uma lei que integre e articule mecanismos eficazes e modernos de combate a todas as formas de preconceito, discriminação e violência motivada em discursos de ódio: homofobia, lesbofobia, bifobia e transfobia (que no PLC-122 estavam resumidas no termo ‘homofobia’, mais conhecido), mas também racismo, machismo, xenofobia e outras formas de preconceito. Sou partidário de integrar tudo isso numa mesma lei, abrangendo as questões cíveis, trabalhistas, migratórias, de defesa do consumidor, políticas educacionais e outras, e não apenas a questão penal, que pretendo tratar com uma perspectiva diferente, que seja compatível com a ideia do direito penal mínimo e não se transforme em mais uma forma de criminalização ineficaz e seletiva, que acaba atingindo apenas os mais pobres. Aliás, vamos evitar esse termo. Vai ser muito mais do que isso. A minha equipe está trabalhando com essas orientações minhas e levando em conta a legislação comparada, os projetos em tramitação em outros países e a jurisprudência dos tribunais internacionais de direitos humanos.” (conferir: http://igay.ig.com.br/2015-01-19/garanto-que-o-novo-projeto-de-criminalizacao-da-homofobia-nao-ficara-no-limbo.html)

É muito provável que, no novo Projeto a ser apresentado por este deputado, além do cerceamento de nosso direito de expressão, veremos o absurdo de garantir os “direitos sexuais” das crianças e adolescentes, SEM O CONSENTIMENTO DOS PAIS, tais como fazer cirurgia de mudança de sexo (como ele já propôs, em outro projeto), e quem sabe até mesmo incentivá-las a serem “profissionais do sexo”.  Veremos, também sem espaço para a ação dos pais, a imposição da ideologia gay nas escolas e tantos outros desmandos afins.

Como vemos, nós cristãos que sabemos o valor da família nos planos de Deus, que entendemos que as crianças, jovens e adolescentes serão os mais atingidos por esta ideologia gay (por não terem ainda a sabedoria de se defenderem) e que queremos manter nosso direito de nos posicionarmos, sem sermos amordaçados, temos que estar atentos e agir.

Com certeza não apoiamos a violência contra pessoas que vivem atos homossexuais, antes rezamos por eles, pois a maioria dos homossexuais, vítimas de suas feridas emocionais, não percebem o quanto se ferem e ferem a outros. Mas não podemos abrir mão de nosso direito de expor claramente nossa posição sobre a sexualidade humana e a família. Preparemo-nos para um ano de combate, pois, se não agirmos agora, as futuras gerações, feridas e enganadas, poderão nos acusar de omissão.

P.S.: para aprofundamento sobre a questão homossexual, sugiro a leitura deste meu livro “Homossexualidade. Como entendê-la?” (http://misericordia.org.br/loja/produto/homossexualidade-como-entende-la/)

Pe. Silvio, MIC

Uma ideia sobre “Imposição da ditadura gay

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>